Jornal afirma e ex-mulher de Bolsonaro nega agressão; veja o vídeo

O RELATO constatou com um de seus colaboradores que a época Ana Cristina Valle, fez telegrama ao Itamaraty com o objetivo de obter visto para residir na Noruega, veja declaração no fim da pagina, reportagem do jornal Folha de S. Paulo teve acesso a documento de 2011

 

Com Agências

 

A ex-mulher do candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, procurou o Itamaraty em 2011 após ter sido ameaçada de morte por ele. Na época, Ana Cristina Valle pediu para sair do Brasil em relato que consta de um telegrama reservado arquivado no órgão, ao qual a Folha de S. Paulo teve acesso.

 

De acordo com a Folha , Ana Cristina e ele brigavam judicialmente sobre a guarda do filho do casal, então com 12 anos. Segundo informou o Itamaraty, a ex-mulher de Bolsonaro disse ter deixado o País em 2009 por “ter sido ameaçada de morte pelo pai do menor”. Portando, ela teria “aduzido que tal acusação poderia motivar o pedido de asilo político neste país [a Noruega]”. 

Ainda no documento, a ex-mulher disse acreditar que o vice-consulado do Brasil na Noruega estava “agindo em nome do deputado federal” ao procurá-la.

 

Os trechos da denúncia foram acessados pelo jornal nesta terça-feira (25), já que o documento anteriormente requerido veio com tarjas pretas em parte dele. O embaixador Carlos Henrique Cardim, que assina o telegrama, e dois procuradores confirmaram a íntegra das informações.

 

Atualmente, Ana Cristina mora no Brasil e, inclusive, é candidata a deputada federal pelo Podemos e ainda usa o sobrenome do ex-marido. Ao ser procurada pela reportagem do jornal, ela disse “ter superado o episódio da Noruega ”, apesar de ter “admitido ter sofrido pressão por ele na época”.

 

A Folha de S. Paulo divulgou, no domingo (23), que Bolsonaro mobilizou o Itamaraty em 2011 para interceder em seu favor no caso, uma vez que a ex-mulher viajou para fora do País com o filho. O embaixador afirmou se lembrar de que foi procurado pelo deputado federal, em Brasília, que “estava contrariado” com a viagem sem autorização do filho.

 

Ainda segundo Cardim, ele apenas repassou a informação do vice-cônsul na Noruega, quem realmente conversou com a ex-mulher de Bolsonaro. “Não estou aqui [no telegrama] julgando se houve ou não essa ameaça. Só estou registrando o fato de que ela falou para o vice-cônsul. E ponto. Lá [embaixada] não é delegacia de polícia”, disse. O candidato foi procurado pela Folha, mas não se pronunciou até o fechamento desta reportagem. Ele está internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo.

 

Ana Cristina Valle nega reportagem
Em vídeo divulgado nas redes sociais, Ana Cristina Valle, ex-esposa do presidenciável, negou que tenha feito acusações contra o candidato. "Nunca (me ameçou de morte). É pai do meu filho, meu ex-marido. Ele é muito querido por mim. É um bom pai, bom ex-marido e foi um bom marido também", disse. Ela também criticou o que chamou de "mídia suja" e especialmente o jornal que publicou a matéria original. "Venho aqui, muito indignada, desmentir a suja Folha de São Paulo", atacou.

 

Confira o vídeo feito pela ex-mulher de Bolsonaro (fin da página)

Avalie este item
(0 votos)

Mídia

Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro, falou ao Correio Braziliense e negou que tenha sido ameaçada de morte pelo hoje presidenciável, como consta em telegrama enviado ao Itamaraty em 2011

Mais notícias - Política

Cidades

    Política

      Tocantins

        Brasil

          Tocantins

            Opinião

              Topo