Figurões não se reelegem para o senado em 16 estados

Além dos candidatos a reeleição, políticos tradicionais como Dilma Rousseff e Eduardo Suplicy do PT e Sarney Filho (PV) não se elegeram em seus estados

 

Com R7

 

Ao menos 20 candidatos ao Senado Federal que disputavam a reeleição em 16 estados e no Distrito Federal não conseguiram se reeleger neste pleito e renovar seus mandatos.

 

O candidato Valdir Raupp (MDB) que tentava renovar seu mandato por Rondônia foi o que teve o pior desempenho, amargou 5,94% dos votos em seu estado, frente aos 34,29% que ele teve quando foi eleito para o mandato no pleito de 2010. Lembrando que o mandato para senador é de 8 anos.

 

Romero Jucá (MDB), que foi homem forte do governo Temer, protagonizou uma disputa acirrada em Roraima, mas acabou perdendo para Messias de Jesus (PRB) com uma diferença de pouco mais de mil votos. Ângela Portela, outra senadora pelo estado também ficou de fora.

 

Na lista de políticos tradicionais que não conseguiram renovar seus mandatos ao Senado Federal estão Eunício Oliveira (MDB), que era senador pelo Ceará, Cristovam Buarque (PPS) do Distrito Federal, Magno Malta (PR) e Ricardo Ferraço (PSDB) do Espirito Santo, Edison Lobão (MDB) do Maranhão, Roberto Requião (MDB) no Paraná e Lindbergh Farias (PT) no Rio de Janeiro.

 

Também ficaram de fora Vanessa Grazziotin (PC do B) pelo Amazonas, Paulo Bauer (PSDB) por Santa Catarina, Garibaldi Filho (MDB) pelo Rio Grande do Norte, Wilder Morais (DEM) por Goiás, Moka (MDB) pelo Mato Grosso do Sul, Flexa Ribeiro (PSDB) pelo Pará, Cássio Cunha Lima (PSDB) pela Paraíba, Valadares (PSB) por Sergipe, Vicentinho (PR) e Ataídse Oliveira (PSDB) por Tocantins.

 

Além dos candidatos à reeleição, políticos tradicionais como a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que disputou uma vaga no senado em Minas Gerais, Sarney Filho (PV), que era candidato ao senado no Maranhão, e Eduardo Suplicy (PT), que já foi senador por três mandatos por São Paulo, não conseguiram uma cadeira no Congresso Nacional.

 

Avalie este item
(1 Voto)

Mais notícias - Política

Cidades

    Política

      Tocantins

        Brasil

          Tocantins

            Opinião

              Topo