Projeto da UFT contribui com Letramento estético na educação de jovens e adultos

História em quadrinhos ajuda jovens e adultos a ler e escrever (Foto: Arquivo pesquisador) História em quadrinhos ajuda jovens e adultos a ler e escrever (Foto: Arquivo pesquisador)

O simples ato de ler e escrever parece simples quando a alfabetização começa na infância, mas essa não é a realidade de mais de 11,8 milhões de brasileiros acima de 15 anos que são analfabetos, como aponta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em pesquisa divulgada no final do ano passado

 

Com Assessoria da UFT

 

Para além desses milhões, há também quem até sabe ler e escrever, mas tem dificuldades para executar a tarefa, afinal a evasão escolar é um problema real no país.

 

Então, como contribuir para melhorar esses índices e ajudar quem não lê e escreve tão bem? Para o professor do curso de Licenciatura em Educação do Campo, da Universidade Federal do Tocantins (UFT), do Câmpus de Tocantinópolis, Gustavo Araújo, a resposta vem do letramento estético, que tem ajudado jovens e adultos do curso a desenvolver a leitura e a escrita por meio da produção de histórias em quadrinhos.

 

Os alunos de diferentes faixas etárias são jovens e adultos do campo, há muitos trabalhadores, geralmente de escolarização baixa e que voltaram à universidade para completar ou concluir seus estudos. No entanto, eles têm encontrado dificuldades para entender o conteúdo. Percebendo isso, Araújo aliou texto e imagem no processo de ensino e aprendizagem. Para o professor e pesquisador, “ao considerar a leitura e a escrita como práticas sociais e culturais é que o letramento se mostra fundamental no processo educacional”.

 

Resultado

A estratégia tem rendido bons frutos, como os colhidos pelo senhor Antônio*, de 35 anos. Ele explica que sua leitura melhorou, porque quando você faz o produto é preciso ler e reler o material, “a cada leitura que você faz você tem uma visão diferente, você acha que ficou faltando alguma coisa... então melhorou, a gente lê muitas vezes, e isso faz com que a leitura da gente melhore”.

 

Da mesma forma, quando perguntamos para dona Raimunda*, de 42 anos, se a história em quadrinhos ajudou ela desenvolver sua leitura verbal, a resposta é categórica: Sim! Para ela, o fato de ter que escrever a própria história, a obrigada ler o material muitas vezes, corrigi-lo, melhorá-lo e esse exercício de estar sempre revendo tudo a obrigada ter um rigor maior com a leitura e escrita, contribuindo para o seu melhor rendimento.

Alunos do curso de Educação no Campo produzem histórias em quadrinhos para ajudar no aprendizado (Foto: Arquivo pesquisador)Alunos do curso de Educação no Campo produzem histórias em quadrinhos para ajudar no aprendizado (Foto: Arquivo pesquisador)

 

Araújo ainda continua estudando esse processo de aprendizagem em sua pesquisa de doutorado, segundo ele, “aliar texto e imagem no processo de ensino e aprendizagem do aluno contribui para o entendimento da realidade que o mesmo está inserido”. A hipótese é de que as histórias em quadrinhos são importantes instrumentos para o desenvolvimento da leitura e escrita dos estudantes da EJA, como os resultados preliminares da pesquisa tem apontado.

*Nome fictício

 

Avalie este item
(0 votos)

Mais notícias - Educação e Cultura

Cidades

    Política

      Tocantins

        Brasil

          Tocantins

            Opinião

              Topo