"Matemática está em tudo": disciplina é foco de semana de eventos em todo o País

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia teve início nesta segunda-feira e conta com o envolvimento de mais de duas mil instituições; confira a agenda

 

Da Agência Brasil

 


Durante essa semana, cerca de duas mil instituições de mais de mil cidades brasileiras serão palco de 100 mil atividades que acontecerão em homenagem à Semana Nacional de Ciência e Tencologia (SNCT), que teve início em todo o Brasil nesta segunda-feira (23). O tema do evento, neste ano, é o uso da matemática no dia a dia.

 

A semana, que acontece anualmente, busca promover eventos em todo o País com a finalidade de chamar a atenção dos brasileiros para a importância da produção científica em várias áreas, da educação à economia. Participam das atividades da semana nacional governos, escolas, universidades, centros de pesquisa, empresas e organizações da sociedade civil.

 

Ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), até esta segunda-feira, 23 estados e o Distrito Federal já informaram que vão participar da semana. Apenas o Acre, Alagoas e o Piauí não devem promover eventos.

 

Em compensação, a região Sudeste participará em peso. Afinal, os estados com o maior número de atividades cadastradas são Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Roraima.

 

“A semana contribui para cultivar a prática interativa de nossos acadêmicos e cientistas com a educação básica", afirma Sonia Costa, coordenadora da semana e diretora do MCTIC. "Não existe a cultura dos nossos cientistas de divulgar o conhecimento. Trabalhos acadêmicos são finalizados e nós leigos não conseguimos ter a compreensão da importância daquilo”, avalia Sonia.

 

Matemática está em tudo

Neste ano, o foco de todos os eventos da semana será a matemática. Com o tema “A matemática está em tudo”, os eventos procuram mostrar como a disciplina pode ser encontrada na música, na gastronomia, na arquitetura, na moda e em diversas áreas do saber, além de momentos da nossa rotina.


Na avaliação educacional internacional Pisa, o desempenho de estudantes na disciplina foi o pior entre as habilidades analisadas (também são medidos o conhecimento em ciências e a capacidade de leitura).

 

Na última edição, em 2015, a nota do País em matemática foi 377, menor do que na edição anterior, em 2012, quando chegou a 389. No ranking mundial dessa disciplina a partir da Pisa 2015, o Brasil ficou em 66º lugar.


Fernando Senna, estudante, 17 anos, medalha de ouro na Olimpíada Latino Americana de Astronomia e Astronáutica, ocorrida no Chile neste ano, conta que a matemática o faz perceber como o mundo funciona.

 

“O nosso universo depende de leis que são expressas matematicamente e eu acho incrível como podemos conhecer coisas que estão a anos luz de distância e ver como tudo isso funciona”, afirma.


Na avaliação de Jhames Matos Sampaio, matemático e professor do Instituto de Ciências Exatas da Universidade de Brasília, a alta carga de conteúdos contribui para alimentar a resistência de muitos alunos em relação à matemática. Para mudar esse quadro, seria preciso investir em um tratamento mais lúdico dos assuntos.

 

“As pessoas enxergam a matemática como uma punição, ou algo muito difícil. O aluno de ensino médio poderia ver menos conceitos para poder trabalhar mais a prática”, defende Sampaio.

 

A programação das atividades da semana nacional estão todas listadas no site oficial do evento .

Avalie este item
(0 votos)

Mais notícias - Educação e Cultura

Cidades

    Política

      Tocantins

        Brasil

          Tocantins

            Opinião

              Topo