Pai de Santo é condenado a 65 anos por estupro de vulneráveis

Conhecido em Porto Nacional e Região, como professor Gomes o condenado chegou ater programa em radio local

 

Com informações do MPE e SSP

 

A Justiça julgou procedentes seis denúncias criminais propostas pelo Ministério Público Estadual (MPE) e condenou Jacir Gomes, 64 anos, suposto líder espiritual, e sua comparsa Josiane de Souza Gomes, 34 anos, pelos crimes de estupro de vulnerável. Segundo as investigações, as vítimas, residentes em Porto Nacional e Nova Rosalândia, eram violentadas quando estavam a sós com Jacir, sob o pretexto de acompanhamento espiritual. Uma delas, uma criança de oito anos de idade, foi abusada durante quatro anos.

 

De acordo com a denúncia criminal, em alguns casos Jacir se aproveitava da confiança dos pais das vítimas com quem tinha amizade para cometer os abusos. Já em outros, Josiane de Souza Gomes enganava as famílias para que deixassem as meninas lhe acompanhar e levava as crianças de Nova Rosalândia, local onde residia, até o município de Porto Nacional, para que Jacir cometesse os estupros.

 

As vítimas, crianças de oito, 11 e 12 anos, relataram que foram abusadas diversas vezes, por meio de conjunção carnal e atos libidinosos. Um dos artifícios para mantê-las caladas era por meio de ameaças de que faria algo contra seus familiares.

 

Para ficar sozinho com a criança, o “curandeiro” alegava que estava fazendo o acompanhamento espiritual, utilizando-se desse argumento para levá-las ao ambiente isolado e escondido, ocasião em que se aproveitava para cometer os crimes.

 

Pelos seis processos criminais de estupro de vulnerável, o Juiz Wellington Magalhães condenou Jacir a uma pena que, somada, chega a 65 anos de reclusão. A pena imputada a Josiane chega a 38 anos de prisão. Em ambos os casos, as penas serão cumpridas inicialmente em regime fechado. (Denise Soares)

 

Entenda o caso

Após um intenso trabalho investigativo, a Polícia Civil da 6ª Delegacia Regional de Paraíso (6ª DRPC) cumpriu no dia 14 de março, mandado de prisão em desfavor de Jacir Gomes, de 64 anos, em Porto Nacional. Na época ele era suspeito de ter violentado sexualmente quatro crianças, entre oito e onze anos de idade, naquele município.

 

De acordo com o delegado da 6ª DRPC, José Antônio da Silva, as investigações iniciaram após um registro de Boletim de Ocorrência no dia 21 de fevereiro em Nova Rosalândia. “A mãe de uma criança registrou o B.O. (Boletim de Ocorrência) informando que sua filha estava sendo ameaçada por Joseane Souza Gomes, de 34 anos. Ela contou que Joseane levava sua filha, de Nova Rosalândia, para realizar serviços domésticos em Porto Nacional, e que, naquele dia, a criança estava chorando e falando que não queria ir. Após tomar conhecimento do fato, desconfiamos e pedimos que fosse feito exame de corpo delito na menina, constatando resultado positivo para conjunção carnal”, afirmou o delegado.

Com o resultado do exame, no dia 23 de fevereiro, a Polícia Civil ouviu novamente a menina, que contou para a autoridade policial que era levada à casa de Jacir Gomes, em Porto Nacional, por Joseane, e lá era abusada sexualmente pelo homem. “Ouvimos também a mãe da criança, que nos informou que Joseane também levava uma filha de sua prima à Porto Nacional. Fomos atrás da família desta outra criança, que confirmou o abuso sexual”, contou o delegado.

 

Após duas semanas de investigações, na quinta-feira, 10, foi pedido um mandado de prisão preventiva em desfavor de Joseane. O mesmo foi cumprido na manhã do dia seguinte, em Nova Rosalândia. “Após ser presa, Joseane confessou que levava as crianças para Jacir Gomes, afirmando ainda haver outras duas vítimas, também de Nova Rosalândia. A Polícia Civil foi atrás das crianças, e, após o exame de corpo de  delito, foi confirmado o ato sexual em ambas”, contou a autoridade policial, afirmando que a Polícia Civil trabalhou diuturnamente no caso durante todo o final de semana.

 

Na segunda-feira, 13, foi pedido um mandado de prisão em desfavor de Jacir Gomes, que foi cumprido na manhã desta terça-feira, 14, na casa dele. “Apreendemos seu celular com fotos de uma das menores. As investigações indicam que Jacir tenha abusado entre duas a seis vezes, cada uma das quatro meninas”, completou o delegado José Antônio.

 

Joseane Souza Gomes se encontra recolhida na Cadeia Pública de Lagoa da Confusão. Jacir Gomes será encaminhado a Cadeia Pública de Cristalândia e ambos irão responder pelo crime de estupro de vulnerável.

 

Avalie este item
(1 Voto)

Mais notícias - Cidades

Cidades

    Política

      Tocantins

        Brasil

          Tocantins

            Opinião

              Topo