Advogado da Prefeitura de Porto Nacional é preso em Anápolis

Irley Santos dos Reis, e assessor jurídico na Prefeitura de Porto Nacional, no momento das prisões foram encontrados 500kg de maconha

 

Com Informações da PM/GO

 

Policiais militares da Companhia de Policiamento Especializado (CPE) de Anápolis flagraram, na madrugada desta sexta-feira (9/12), um veículo Land Rover em alta velocidade na Avenida Angélica, no Conjunto Filostro Machado. Ao fazer a abordagem, eles encontraram no carro uma balança de precisão e rolos de plástico filme. Dentro do veículo estavam o motorista Irley Santos dos Reis e o passageiro Wesley Honório Ferreira.

Enquanto os policiais conversavam com os homens, o telefone de Wesley recebeu várias ligações, em uma delas os policiais descobriram que a balança estava sendo solicitada para fazer a pesagem de algum produto com urgência em uma chácara no Setor Monte Sinai.

Os oficiais prosseguiram para o endereço citado na ligação e, no local, foram abordados outros homens, Carlos Alberto Ferreira, Lucas Raimundo Nascimento Silva, Wilton Stumm de Carvalho e André da Costa Campos. Com eles, a polícia localizou 490 tabletes de maconha, pesando aproximadamente 500 quilos, avaliada em R$ 1 milhão.

Em poder dos homens, nesta mesma chácara, também foram encontrados três veículos, um Corolla, um Corsa Hatch e um terceiro carro clonado com registro de roubo em São Paulo.

Continuando a diligência, os policiais descobriram que em uma casa no Bairro Primavera estaria outro integrante da quadrilha, identificado como Wilson Gomes Granjeiro. Ele seria o responsável pelo transporte da droga que veio da cidade de Amambai (MS) para Anápolis.

Todos os homens foram presos em flagrante e junto com as drogas foram levados para Polícia Federal que ficou responsável por instaurar os procedimentos necessários para o caso.

Colaboraram nesta ocorrência o tenente Feitosa, cabo Dos Santos, cabo Diogo e o sargento Luiz, com apoio do tenente Valente, tenente Valdemar, sargento Uessugi e o cabo Jair.

Os presos foram: Lucas Raimundo Nascimento Silva, Carlos Alberto Ferreira, Wilton Stumm de Carvalho, André Costa Campos e Wilson Gomes Granjeiro – que já tinha um mandado de prisão em aberto.

Avalie este item
(1 Voto)

Mais notícias - Cidades

Cidades

    Política

      Tocantins

        Brasil

          Tocantins

            Opinião

              Topo