Com Lula candidato, 'não haverá alternativa' a não ser intervenção, diz general

Com Lula candidato, caso o STF vote por seu habeas corpus, não há alternativa a não ser intervenção, diz general Lessa (foto) Com Lula candidato, caso o STF vote por seu habeas corpus, não há alternativa a não ser intervenção, diz general Lessa (foto)

Para Lessa, se o STF deixar o petista ser candidato às eleições de outubro, a Corte estará agindo como 'indutor' da violência entre os cidadãos brasileiros 

 

Por iG São Paulo e O Estado de S. Paulo

 

 

O general de Exército da reserva Luiz Gonzaga Schroeder Lessa fez uma declaração polêmica, nesta segunda-feira (2), sobre a possibilidade de termos Lula candidato em outubro. Afinal, Lessa afirmou que, se o Supremo Tribunal Federal (STF) votar a favor do habeas corpus do ex-presidente nesta quarta-feira (4), a 'única saída' seria a implantação de uma intervenção militar no País.

 

Isso porque, segundo o general, com uma decisão dessas, o STF estaria agindo como “indutor” da violência entre os brasileiros e “propagando a luta fratricida, em vez de amenizá-la”. Para a hipótese de Lula candidato , então, Lessa defende a intervenção das Forças Armadas.

 

“Se acontecer tanta rasteira e mudança da lei, aí eu não tenho dúvida de que só resta o recurso à reação armada. Aí é dever da Força Armada restaurar a ordem. Mas não creio que chegaremos lá”, disse ele. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

A declaração de Lessa engrossa as já crescentes manifestações de oficiais generais da reserva sobre a concessão de habeas corpus ao ex-presidente. Um dos generais a se manifestar foi Paulo Chagas, pré-candidato ao governo do Distrito Federal.

 

“Nosso objetivo principal nesse momento é impedir mudanças na lei e colocar atrás das grades um chefe de organização criminosa já julgado e condenado a mais de 12 anos de prisão que, com o respaldo desse supremo fortim (o STF), tem circulado livre e debochadamente por todo o território nacional, contando mentiras, pregando o ódio e a luta de classes”, escreveu Chagas.

 

Com Lula candidato ou não, crise será "resolvida na bala"
Na semana passada, Lessa já havia se manifestado com declarações enfáticas à Rádio Bandeirantes, de Porto Alegre. Na oportunidade, disse que haveria 'derramamento de sangue'.

 

"Vai ter derramamento de sangue, infelizmente é isso que a gente receia". O general disse ainda que a crise atual brasileira provavelmente “vai ser resolvida na bala".

 

Ao jornal, o Exército informou que as declarações de Lessa representam apenas a “opinião pessoal” dele e que "pauta sua atuação dentro dos parâmetros legais balizados pela Constituição Federal e outras normas que regem o assunto".

 

O STF, por sua vez, disse que não se manifestaria sobre a afirmação de Lessa e de outros generais que expressaram sua opinião sobre as possíveis decisões da Corte. Seja Lula candidato ou não, a Corte não se posiciona sobre qualquer hipótese de intervenção militar.

 

Avalie este item
(0 votos)

Mais notícias - Brasil

Cidades

    Política

      Tocantins

        Brasil

          Tocantins

            Opinião

              Topo