Bancos brasileiros crescem e têm maior lucro desde 2006

Banco Itaú registrou maior lucro líquido do período, enquanto o Bradesco apresentou a maior alta; juntos, quatro bancos lucraram R$ 17,47 bilhões

 

Por Brasil Econômico

 

O lucro líquido dos quatro maiores bancos em atuação no Brasil somou R$ 17,47 bilhões no terceiro trimestre deste ano. Esse é o maior valor registrado desde 2006, que também representa aumento de 28,5% em relação ao mesmo período de 2017.

 

Na comparação com o trimestre anterior, a soma dos crescimentos de lucro do Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Santander apresentou alta de 3,5% no terceiro trimestre. Segundo dados da Economatica, o valor consolidado, que desconsidera a inflação, é o maior em 12 anos.

 

O levantamento leva em consideração os demonstrativos financeiros disponibilizados pelas instituições financeiras a cada três meses, desde o final de 2006, início da série disponibilizada pelo Santander na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

 

De acordo com os balanços divulgados por cada um dos bancos, o aumento dos lucros foi impulsionado especialmente pelo crescimento das receitas com tarifas e prestação de serviços, menores despesas com provisões para calotes e menor custo do crédito.

 

Levando em conta a inflação oficial do País , o lucro consolidado dos quatro maiores bancos no terceiro trimestre foi o maior desde o segundo trimestre de 2015 – R$ 20,5 bilhões ou R$ 17,47 bilhões líquidos. O valor é corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

 

Entre 2017 e o terceiro trimestre de 2018, o menor valor foi obtido no cálculo realizado justamente no terceiro trimestre do ano passado – R$ 13,59 bilhões. Neste ano, em contrapartida, esse é o período de maior lucro dos bancos no Brasil.

 

Desde 2015, o pior resultado para as instituições financeiras foi notado no quarto trimestre de 2016 – R$ 11,63 bilhões.

 

O Banco Itaú registrou lucro líquido de R$ 6,247 bilhões no terceiro trimestre, número que indica crescimento de 2,8% na comparação com o mesmo período do ano passado. Na soma dos nove meses já contabilizados em 2018, o lucro líquido do banco foi de R$ 18,772 bilhões, o que representa um avanço de 3,5% ante os primeiros seis meses de 2017.

 

Os destaques citados no resultado deste ano são o menor custo do crédito e as maiores receitas com prestação de serviços aos clientes. A inadimplência acima de 90 dias entre as pessoas físicas permaneceu estável em 4,5% ante os três meses anteriores.

 

O Bradesco obteve lucro líquido de R$ 5,009 bilhões, o que representa uma alta expressiva de 73,7% na comparação com o mesmo período do ano passado (R$ 2,884 bilhões). No acumulado dos nove primeiros meses do ano, o banco registrou lucro líquido de R$ 14,004 bilhões, uma alta de 28,9% na comparação com o mesmo período de 2017.

 

O índice de inadimplência acima de 90 dias ficou em 3,63%, 0,3 ponto percentual abaixo do índice do trimestre anterior e com queda de 1,2 ponto percentual ante o mesmo período do ano passado.

 

O Banco do Brasil reportou lucro líquido de R$ 3,175 bilhões, apresentando um aumento de 11,78% na relação anual (R$ 2,841 bilhões em 2017). No acumulado no ano, o lucro líquido soma R$ 9,059 bilhões, com alta de 14,6% na comparação com os 9 primeiros meses do ano passado.

 

Segundo o banco, o resultado se deve ao "desempenho positivo das rendas de tarifas, qualidade do crédito e controle das despesas administrativas" e menores provisões para perdas com empréstimos. O índice de inadimplência acima de 90 dias diminuiu 0,5 ponto percentual no trimestre, caindo para 2,83%.

 

O lucro líquido divulgado pelo Santander foi de R$ 3,039 bilhões, o que indica um aumento de 2,2% em comparação com o mesmo período do último ano. Na soma dos primeiros nove meses, foi registrado lucro líquido de R$ 8,831 bilhões, alta de 60,6% em relação ao mesmo período de 2017.

 

O índice de inadimplência superior a 90 dias atingiu 2,9% no final de setembro, se mantendo estável: alta de apenas 0,1 ponto percentual em três meses.

 

Ao todo, com R$ 6,247 bilhões do Itaú, R$ 5,009 bilhões do Bradesco, R$ 3,175 bilhões do Banco do Brasil e R$ 3,039 bilhões do Bradesco, o lucro líquido total dos bancos foi de R$ 17,47 bilhões no terceiro semestre de 2018, maior valor em 12 anos.

 

Avalie este item
(0 votos)

Mais notícias - Brasil

Cidades

    Política

      Tocantins

        Brasil

          Tocantins

            Opinião

              Topo