O Relato Blog

site de Noticias de Porto Nacional, Tocantins, fatos políticos e de interesse publico, opinião e comentários dos acontecimentos diários (Política, Palmas, Eleições, Estado, Porto Nacional, Jalapão,Educação)

Novo Imposto, o sujo e o mal lavado e a PEC da vergonha

 O pensamento

O novo ministro da Justiça, Torquato Jardim, disse em entrevista à TV Globo na quarta-feira que a origem dos recursos doados à campanhas eleitorais não são relevantes, desde que a doação tenha sido declarada à Justiça Eleitoral. Executivos ligados a empresas que firmaram acordos de delação premiada com a Lava Jato -entre elas Odebrecht e J&F, holding que controla o frigorífico JBS- disseram em depoimentos que propinas pagas em troca de benefícios obtidos pelas empresas foram pagas na forma de doações eleitorais legais.

Isso a meu ver é sim corrupção também pode ser entendida como o resultado de subornar, dando dinheiro ou presentes para alguém em troca de benefícios especiais de interesse próprio. Além disso, a corrupção pode ser definida como utilização do poder ou autoridade para conseguir obter vantagens ou oferecer vantagens. Mas vou discordar do Dr. Torquato Jardim que já foi ministro Tribunal Superior Eleitoral e por isso e por pessoas com esse tipo de posicionamento e pensamento que a política esta com esta.

 

Novo imposto sindical

O presidente Michel Temer garantiu em reunião com as centrais sindicais, a soltar uma MP criando um novo imposto sindical. Ficou acertado que o imposto sindical atual deixa de existir com a reforma trabalhista, mas que o governo se compromete com novo imposto sindical. Hoje o trabalhador é obrigado a contribuir com um dia de trabalho por ano ao sindicato de sua categoria. Em alguns casos, portanto, essa contribuição pode aumentar. Do ponto de vista político, essa é uma importante vitória para Temer porque ele deixa de ter nas ruas contra ele uma categoria com significativo poder de mobilização. Informou o colunista Marcio Lima. Do ponto de vista dos sindicatos, foi uma maravilha. Do ponto de vista do trabalhador comum, um desastre. O que parece para o trabalhador é que essa dita reforma é só mais uma falácia, um engodo a classe trabalhadora.

 

O sujo e o mal lavado

O senador Jorge Viana (PT-AC) defendeu antecipação das eleições diretas para presidente como remédio para tirar o país do caos. “Isso pacificaria esse confronto que está se dando”, afirmou ele da tribuna. Ele disse ainda que o PSDB deve pedir desculpas à Nação por crise política que o pais vem passando. O senador de ser um costumas usuário de óleo de peroba, observa-se aqui que o sujo fala do mal lavado. O senador deveria honrar a tribuna quando dela fazer uso, todos sabem como, quando, por que e com quem essa crise começou. A defesa por eleições diretas de deve ao fato das pesquisas darem o ex-presidente Lula como favorito, pois o ditado é certo moco e estrada ruim não acabam fácil não. Antes ser uma crise política é uma crise moral, nada que uma boa cadeia e a devolução do que foi roubado com juros para um refresco na memória.

 

Blindagem dos senadores

Vergonha essa PEC do Senado que “acaba” com foro privilegiado, ele acabaram com o foro para os membros de outros poderes. Deputados e senadores não poderão serem presos, somente com autorização da Casa após transitado em julgado depois de 2ª instância. O jornal Folha de São Paulo trás matéria jornalística onde diz líderes fecharam um acordo e retiraram da proposta a previsão de possibilidade de cumprimento de pena após condenação em segunda instância, diferentemente do estabelecido pelo STF desde novembro para qualquer cidadão. Mesmo sem foro, deputado federal ou senador só poderá ser preso se flagrado cometendo crime inafiançável, conforme já prevê a Constituição.

“Havia um impasse desde a semana passada, mas houve um acordo e eu cedi para permitir a votação”, afirmou o relator Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Segundo o senador, a supressão do cumprimento da pena após condenação em segunda instância não causa qualquer efeito contrário à decisão do Supremo. “Para mim, está muito claro que existe uma resolução do STF que permite a prisão em segunda instância.” Assessores técnicos do Senado, no entanto, alegaram que a decisão dos parlamentares impede a prisão. Nenhum senador teve a coragem de discursar contra a supressão do dispositivo. Se aprovado e sancionado pelo presidente Temer, os senadores ontem retiraram o foro privilegiado de cerca de 55 mil autoridades de todo o País - entre elas magistrados e membros do Ministério Público. Isso é pimenta no dos outros e refresco. 

 

Vergonha é pra quem tem

Como vergonha é apenas uma condição psicológica de cada indivíduo, não é de se duvidar que o presidente Michel Temer ainda tente ajeitar a vida (arrumar um foro privilegiado) para  Rocha Loures, o homem da mala da propina de R$ 500 mil, que em 2002 foi chefe da assessoria parlamentar de Michel  Temer, como agora assessor especial do presidente da republica. Ele assumiu a câmara federal com a nomeação de Osmar Serraglio ao Ministério da Justiça. Serralho sentido-se traído por Temer ao nomeá-lo para ministério da Transparência, volta a Câmara, deixando Loures sem foro privilegiado e Michel com um homem-bomba. Lembrando o episodio do ex-presidente Lula que na procura de um foro privilegiado acabou se dando com os burros n água e hoje já responde 5 inquéritos e vem mais por ai.

 

Continuar lendo
110 Acessos

Não a Jucá, as PEC`s, e as Politicarias em geral

Representação Contra Padilha na Procuradoria

A bancada do PSOL na Câmara protocolou, representação contra o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, na Procuradoria-Geral da República (PGR). O Partido quer ampliação das investigações contra o ministro-chefe da Casa Civil sobre possível negociação de doação da Odebrecht. Segundo o líder do partido, deputado Glauber Braga (RJ), o objetivo é ampliar as investigações sobre as informações prestadas por José Yunes, em depoimento ao Ministério Público Federal, de que foi Padilha quem negociou com o ex-executivo da Odebrecht Cláudio Melo. Como você viu em nota aqui, Yunes, que é amigo e ex-assessor do presidente Michel Temer, afirmou que acredita ter sido utilizado como "mula" por Padilha para distribuição de recursos ilícitos para campanhas eleitorais. "Face os relevantes indícios aduzidos, vimos requerer a esse eminente órgão que dê prosseguimento à investigação, com a necessidade de celeridade, para que se apura eventuais irregularidades cometidas (por Padilha)", diz a peça. Com o Estadão Conteúdo

 

O foro privilegiado de Sarney

Os ex-presidentes José Sarney (PMDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) têm seus nomes envolvidos em inquéritos da operação Lava Jato. Porém, ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) tratam as ex-autoridades de forma distinta. Enquanto peemedebista será julgado pelo Supremo, petista vai encarar o juiz Sérgio Moro. São decisões como essa que fazem com a sociedade a cada dia que passa a desacreditar ainda mai na justiça. O que mais agravante que se tratar da nossa Corte Suprema. Assim como Sarney tem outros se escondendo de baixa da saia da justiça.

 

Pedido auxílio formal e oficial à Odebrecht

 

Em nota, Planalto diz que Michel Temer pediu auxílio formal e oficial à Construtora Norberto Odebrecht. Não autorizou, nem solicitou que nada fosse feito sem amparo nas regras da Lei Eleitoral". "A Odebrecht doou R$ 11,3 milhões ao PMDB em 2014. Tudo declarado na prestação de contas ao Tribunal Superior Eleitoral. É essa a única e exclusiva participação do presidente no episódio", completa o texto. O comunicado é reação a declarações de José Yunes, que disse ter recebido, a pedido de Eliseu Padilha, pacote de doleiro um mês antes da eleição presidencial de 2014.

O conteúdo do pacote seria dinheiro, Padilha diz ser documentos, muitos documentos, era um pacote grande bem grande declarou o ex-assessor presidencial Yunes. Mas para O RELATO o conteúdo com pacote entregue pelo doleiro era simplesmente pão de queijo, alias muito pão de queijo.

 

Não a Jucá no comando do PMDB

Dizendo-se irritado com a condução que Romero Jucá (RR) vem dando ao PMDB, um grupo de deputados da legenda redigiu um documento em que exige o afastamento de alvos da Operação Lava Jato do comando do partido. Investigado na operação, Jucá preside o PMDB desde abril de 2016, quando o atual presidente da República, Michel Temer, licenciou-se do comando da sigla. O idealizador do documento o deputado Federal Carlos Marun (PMDB-MS) diz que a carta não é contra Jucá e que atingiria também outros alvos da Lava Jato, como o ministro Moreira Franco (Secretaria-Geral), presidente da Fundação Ulysses Guimarães, e o presidente do Senado, Eunício Oliveira (CE), tesoureiro do partido. "A direção do partido deve estar isenta", diz Marun, que espera adesão de metade da bancada.

 

 

Jucá e sua audácia

Uma das reportagens da revista semanal Veja é sobre delação do ex-lobista da Odebrecht, Claudio Melo Filho, segundo ele o principal interlocutor para negociar Medidas Provisórias que beneficiaram a empresa foi o senado hoje líder do Governo no Senado e presidente o PMDB, Romero Jucá, ou simplesmente Cajú para os íntimos e para as planilhas apreendidas pela Policia Federal. Nessas Medidas Provisória de conhecimento do delator renderam R$ 22 milhões de reais em propinas aos parlamentares. Ninguém é de negar a capacidade de Cajú a sua eficiência, conhecimentos, aptidão, experiência, bagagem, talento inclinação etc.. poderíamos até procurar outras palavras para descrever esse visionário, agora líder do maior partido no senado federal é uma piada com a sociedade.

 

Agenda de Mudanças das PECs

Arma certeira para todos os problemas brasileiros as PEC, (Projeto de Emenda à Constituição), só acredita quem quiser, ira para apreciação no Plenário do Senado. A intenção e que dez dessas propostas possam ser votadas em primeiro turno, das quais duas já estão na pauta do Plenário: a PEC 111/2015, que proíbe a edição de medida provisória que altere contratos administrativos entre o poder público e empresas privadas; e a PEC 57/2016, que reduz obrigações fiscais e tributárias de pequenos municípios. Isso é, mais uma continha para você pagar, mas sem ver, afinal o que os lhos não vêm o bolso não sente, será?

 

Só trem bão

Não se preocupe, tem noticia boa como a redução de cargos em comissão nos órgãos públicos, vai ser tudo terceirizado. Tem também o pagamento de adicional por tempo de serviço no Judiciário, afinal o pessoal merece mais esse adicional, eles ganham pouco e trabalham muito e podem ater ter um troço tipo stress ou coisa pior. Já que é só coisa boa mesmo nessa PECs tem também a desvinculação de receitas para estados e municípios, pois com a desvinculação eles deixam de contribuir com o governo central e os recurso fica aqui mesmo. Reclamar de que ou pra quem? Afinal já disseram por ai, não reclame, trabalhe, o Brasil é o país do futuro.

 

Maia emperra CPIs

 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), segura desde o ano passado os pedidos de instalação das Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) da União Nacional dos Estudantes (UNE) e do Conselho Administrativo de Recursos Federais (Carf). A demora evita constrangimentos a aliados que apoiaram Maia nas últimas eleições para o comando da Casa, como o PCdoB e o PSDB, que poderiam ser alvo de investigações. Em mais de sete meses de gestão, Maia autorizou a criação de duas CPIs - uma para investigar a Fundação Nacional do Índio (Funai) e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e outra da “indústria das multas”. Seu antecessor, o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autorizou a criação de dez comissões em quase um ano e meio na presidência. Já Waldir Maranhão (PP-MA), que assumiu o cargo interinamente após o afastamento e a renúncia de Cunha, autorizou a criação de três CPIs. Para O RELATO não faz a mínima diferença essas CPI nunca dão em nada.

 

O stand-up de Cabral

 

Antes de vestir o uniforme de presidiário, Sérgio Cabral gostava de usar outras fantasias. Uma de suas preferidas era a de político incorruptível, que se indignava com qualquer questionamento ético. Bastava que um repórter tentasse abordar o assunto para Cabral subir nas tamancas. Ele alterava a voz, franzia o cenho e se dizia ofendido por ouvir uma simples pergunta. Entre tantas uma que ele fala a respeito de seu governo e as relações com a construtora Delta, Veja o vídeo

Em outros tempos, as respostas indignadas expunham o peemedebista como um político arrogante. Hoje as caras e bocas mostram algo mais: Cabral tinha talento para o ramo de stand-up comedy.

 

 

Morte suspeita

 A morte do presidiário José Marcos de Lima, de 41 anos, semana passada dentro do núcleo de custódia da Casa de Prisão Provisória de Palmas é preocupante. José Marcos é um dos acusados de matar o empresário Vencim Leobas em Porto Nacional. Quando da denuncia  formalizada pelo Ministério Público que levou 2 acusado confesso da morte do empresário a prisão, o mandante do crime teria sido Eduardo Pereira (presidente do Sindposto e proprietário de postos de combustíveis em Porto Nacional e Palmas), que lhe propôs um esquema de alinhamento de preço para anular a concorrência e aumentar a margem de lucros. Wenceslau Gomes teria rejeitado a proposta. Ainda segundo peça nos autos os promotores frisam que Eduardo Pereira possui “grande poder econômico e forte trânsito no meio político das cidades de Porto Nacional e Palmas, atuando diretamente para impedir a construção e instalação do posto de combustível da vítima na cidade de Palmas”. O RELATO espera o pronunciamento do competente Promotor de Justiça responsável pelo caso Abel Andrade Leal Junior.

 

Tribunal não aceita reajuste no IPTU em Palmas

 

O Tribunal de Contas do Tocantins negou na tarde da sexta-feira (3) o recurso da Prefeitura de Palmas que pretendia amnter o reajuste de 6% no Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) da capital. O documento, assinado pelo conselheiro substituto Leondiniz Gomes, destaca “Não conhecer o presente Recurso, interposto pelo senhor Cláudio de Araújo Schuller, secretário de Finanças, à época, por não preencher os requisitos de admissibilidade”. O que vê e que conduta do Executivo municipal já e viciada, isso é ele não vem cumprindo decisões judiciais e já foi acionado pelo Ministério Público, triste e ver que a Câmara Municipal de joelho assiste e se omite e ainda assina abaixo. A polêmica começou no dia 31 de dezembro, quando o prefeito da capital, Carlos Amastha (PSB), decidiu publicar um decreto reajustando os valores de acordo com a inflação acumulada em 2014, 2015 e 2016. Para compensar ele recentemente aumentou a planta de valores da capital...

Continuar lendo
226 Acessos

Porto Nacional, quem é quem, chega de violência...

Quem é quem, na cassação de Cunha

Entre os deputados Federais do Tocantins a professora Dorinha (DEM) foi a única declarou votar pela cassação de Eduardo Cunha, quem teve que viajar as presas para “quem sabe lá pra onde”, foi Carlos Gaguim do PTN, os outros Dulce Miranda, Josi Nunes ambas do PMDB, Lázaro Botelho do PP, Vicentinho Júnior PR,César Halum PRB, Irajá Abreu do PSD ainda não declararam seu voto esta assim indecisos. Mesmo depois de mais de dez meses de instaurado, o processo por quebra de decoro parlamentar contra o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ele mentiu ao negar ser dono de contas no exterior, e é investigado pela operação Lava Jato. Cunha recebia 80% da propina paga em esquema na Caixa Econômica Federal, em Delação Fábio Cleto afirmou em depoimento ao Ministério Público Federal (MPF) que o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ficava com 80% da propina paga em esquema para a liberação de recursos do Fundo de Investimentos do FGTS (FI-FGTS), administrado pela Caixa Econômica Federal. Cunha também foi delatado por outro Fábio o Baiano, que comprovou junto ao Ministério Publico o pagamento de propina em esquema para contratação de navios sondas pela Petrobras, entre outros pequenos delitos como atrapalhar a justiça e até acuar testemunhas, esse ultima sem provas, mas o home é bom, tem o coração grande é pastor e tem bom relacionamento em Brasília.

 

Senado defende inconstitucionalidade

Quem também esta se saindo como um manobrista de primeira linha é a mesa do  Senado. O setor jurídico defendeu ontem (9), no Supremo Tribunal Federal (STF), a validade da votação fatiada do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. A manifestação foi enviada nas ações em que partidos pediram que a Corte anule a votação que garantiu à ex-presidente manter a habilitação para exercer cargos públicos. A regra descrita no artigo 52 da Constituição é clara e cristalina como a água do Buracão, ou era como estão querendo fazer. A perda de mandato e a cassação dos direitos políticos estão descritas como punições indissolúveis. Mudar a Constituição somente é possível com 2/3 do Congresso. Isso ainda vai render e os culpados têm nomes e endereço. Após o julgamento do impeachment, PSDB, DEM, PPS e PMDB e Solidariedade, além dos senadores Álvaro Dias (PV-PR) e José Medeiros (PSD-MT) recorreram ao STF. As ações são relatadas pela ministra Rosa Weber e não têm data para julgamento.

 

Operação abafa

Depois de ser demitido por telefone pelo presidente Michel Temer, Fábio Medina Osório em entrevista a revista VEJA dessa semana diz: “O governo quer abafar a Lava-­Jato”. Medina entrou em rota de colisão com seu padrinho, o poderoso ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. Gaúchos, os dois se conhecem do Rio Grande do Sul. Em sua denuncia ele diz que sua saída é parte da tentativa de proteger aliados do Planalto envolvidos no escândalo da Petrobras. Medina estava trabalhando para que os políticos envolvidos devolvessem o que foi desviado. A Policia Federal enviou uma lista com o nome de catorze congressistas e ex-congressistas. São oito do PP (Arthur Lira, Benedito Lira, Dudu da Fonte, João Alberto Piz­zolatti Junior, José Otávio Germano, Luiz Fernando Faria, Nelson Meurer e Roberto Teixeira), três do PT (Gleisi Hoff­mann, Vander Loubet e Cândido Vaccarezza) e três do PMDB (Renan Calheiros, presidente do Congresso, Valdir Raupp e Aníbal Gomes). Com a lista em mãos, Medina pediu ao Supremo Tribunal Federal para conhecer os inquéritos. Recebida a autorização, a Advocacia-­Geral da União precisava copiar os inquéritos em um HD. Passou um tempo, e nada. Daí deu seu desentendimento, que segundo ele o ministro estava evitanto que esse nomes e outros não chegassem a AGU.

 

Porto Nacional no pódio olímpico

O portuense Ítalo Pereira é medalhista na Paralimpíada do Rio de Janeiro. Ele conquistou a medalha de bronze na natação de 100m costas masculino, na categoria S7.Ele completou a prova em 1m12s48. O ouro ficou com o ucraniano Ievgenii Bogodaiko (1m10s55), e a prata foi para o britânico Jonathan Fox (1m10s78).

O pai dele, Francisco Erivelton Jacinto Lima, comemorou a um jornal de Londrina a conquista:  -  Meu coração está feliz e tranquilo por essa conquista. Uma conquista que é compartilhada com todos, mas que é muito dele. Antes da competição, nós já esperávamos uma medalha por conta do ranking. Esperávamos até que pudesse sair uma prata. Mas o bronze veio como se fosse um ouro - comentou o pai do medalhista.

O sonho de Ítalo Pereira era ser goleiro. A natação era apenas parte da fisioterapia do jovem. De acordo com o pai, Francisco Erivelton, depois que o filho descobriu a natação como esporte, com um ano e meio de prática já começou a conquistar medalhas.

 

Chega de Violência

Partilho meus sentimentos assim como de muitos amigos do Matheus Junior, que prematuramente nos deixou de forma repentina violenta e inaceitável. Infelizmente a violência em suas várias formas só é percebida quando se aproxima de nos, quando afeta um amigo um conhecido ou parente. Durante esse debate político ainda vi nada de concreto em proposta para atacar esse mal que ceifa vidas. O município pode sim fazer melhor para o cidadão. Assim como o Matheus Junior, Thiago Fortes Reis, assassinado na noite de segunda-feira (5), em Palmas. Assim como descrito “Um homem foi executado a tiros na noite desta quarta-feira (8) na quadra 409 Norte, em Palmas. Segundo testemunhas contaram à Polícia Militar, o homem de 27 anos, que não teve o nome revelado, passava pela rua e foi atacado por dois homens que chegaram em uma motocicleta...na verdade somos muitos do Matheus,mas em verdade somos  todos do Matheus, chega de violência. Onde se situa a raiz desse problema é bom tema se fazer uma roda de debates.  

 

 

Continuar lendo
514 Acessos

Últimos posts do blog

A viagem

Segundo a coluna “Radar On-Line”, da revista “Veja”, assinada pelo jornalista Maurício Lima,  senadores estão querendo distância de sua colega Kátia Abreu (PMDB). "Incansável, Kátia Abreu não perdeu uma única oportunidade de conversar com senadores para tentar mudar votos no processo de impeachment”, disse o colunista. Segundo ele, alguns dos senadores reclamaram de Kátia. "Dizem que sua insistência acabava por gerar constrangimentos, e cada vez que ela se aproximava e começava a tentar cabalar votos eles rezavam para que ela contasse logo sua história e saísse de perto”, relatou Lima.ontem mesmo durante transmissão dos depoimentos ela foi vista batendo um papo com o senador Vicentinho Alves.

 

Viajando na maionese

Em outra matéria, está no jornal  O estado de São Paulo,  senadora Kátia Abreu (PMDB) afirmou que acredita que a presidente Dilma Rousseff pode reverter seu afastamento e se livrar da cassação. Nas contas da senadora, que trabalha para tentar convencer colegas a favor da petista, há uma margem de 28 a 32 votos que Dilma pode obter a seu favor. "Se conseguirmos 28 chegaremos a 32", disse. A senadora confidenciou que há parlamentares que nos bastidores admitem que não há crime de responsabilidade por parte de Dilma, mas que mesmo assim estão inclinados a aprovar a cassação. "Eu tenho dito que eles ainda têm tempo para mudar o voto", afirmou. A senadora Kátia Abreu, será a primeira a usar a palavra, logo após o pronunciamento de Dilma, que tem previsão para começar às 9h.Um acordo firmado entre os senadores contrários ao impeachment da presidente Dilma Rousseff mudou a ordem dos inscritos para interrogá-la na próxima segunda (29), no julgamento final do processo.

 

M P E registra mais de 5 mil candidatos fichas-sujas

O Ministério Público Eleitoral (MPE) identificou 5.179 candidatos "fichas-sujas" às eleições de outubro, quando serão disputados os cargos de vereador e de prefeito. O balanço parcial engloba todos os estados e foi feito com base no sistema do MPE, que cruza informações dos tribunais de contas, conselhos profissionais e do Judiciário para embasar as ações de impugnação dos candidatos. O estado de São Paulo registrou 1.420 mil candidatos com irregularidades nos registros, seguido por Minas Gerais (640) e Paraná (476).  Os dados levam em conta os 488.276 registros de candidaturas recebidos pela Justiça Eleitoral. Com o registro, caberá aos juízes eleitorais julgar os pedidos de candidatura, que poderão ser indeferidos caso os candidatos não cumpram os requisitos legais, entre eles estar elegível pela Lei da Ficha Limpa. Entre as causas de inelegibilidades, a norma impede que pessoas condenadas por órgãos colegiados possam disputar eleições pelo prazo de oito anos.

 

PF aponta contradição em depoimento de Lula

Ex-presidente teria dito que não conhecia o executivo Paulo Gordilho, ligado à OAS, mas mensagens apreendidas indicam o contrário. Relatório da Polícia Federal aponta que declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em depoimento à Operação Aletheia, em 4 de março deste ano, vão "em sentido contrário" a mensagens apreendidas pela Lava Jato. Naquela ocasião, Lula foi levado para depor obrigatoriamente pela PF, no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e afirmou não conhecer o executivo Paulo Gordilho, ligado à empreiteira OAS. Gordilho é um dos alvos nas investigações envolvendo o pagamento de benfeitorias no Sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), e no tríplex do Edifício Solaris, no Guarujá, que para a força-tarefa da Lava Jato são de Lula. Além de ser a dona do tríplex no Guarujá, a OAS - junto a Odebrecht - teria feito obras na propriedade rural em Atibaia. Como vovó já dizia  mentira tem pernas curtas.

 

WhatsApp compartilhará telefones com Facebook para publicidade

O aplicativo de mensagens mudou seus termos de serviço pela primeira vez desde que foi comprado pela rede social, em 2014. Usuário do WhatsApp terá 30 dias para decidir se aceita o compartilhamento do seu telefone com o Facebook . A ideia é aumentar o direcionamento dos anúncios publicitários que são vendidos pela rede social. O WhatsApp diz também que pretende explorar novas formas de fazer empresas entrarem em contato com os usuários, o que poderia significar uma nova fonte de receita para o aplicativo. A regra que proíbe a venda de anúncios de terceiros no aplicativo, como banners, não foi alterada. Com o acesso aos números de telefone e à agenda de contatos registradas no WhatsApp, o Facebook quer aumentar seu conhecimento sobre hábitos dos seus usuários para sugerir conteúdo. Se alguém já conversa com um fornecedor pelo aplicativo, por exemplo, essa pessoa poderá estar entre aquelas que veriam o anúncio pago que a empresa veiculasse na rede social.

 

STF: emissoras decidirão se partidos pequenos participarão de debates

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu ontem (25) que as emissoras de rádios e televisão têm a palavra final sobre a participação de candidatos às eleições de outubro nos debates. Por 6 votos a 5, a Corte firmou o entendimento de que os candidatos que pertencem a “partidos nanicos” não podem ser impedidos de participar dos debates pelos demais concorrentes. No julgamento, que foi iniciado ontem (25), o Supremo discutiu a validade das regras estipuladas pela Lei 13.165/2015, conhecida como mini-reforma eleitoral, para os debates em emissoras de rádio e televisão. A maioria dos ministros entendeu que as emissoras podem garantir a participação de candidatos que tenham notoriedade, mas que poderiam ser excluídos por dois terços dos concorrentes, segundo a legislação. Durante o julgamento foi citado os casos dos candidatos Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e Luiza Erundina (PSOL-SP), que não participaram dos debates da TV Bandeirantes para a disputa das prefeituras do Rio de Janeiro e de São Paulo.

 

 

Continuar lendo
373 Acessos

Mais um partido, a tese e o bilionário indiciado

Mais um partido

Sendo hoje mais fácil criar um partido que abrir uma empresa, o pessoal que são ideológicos com caudas sociais tem agora bons argumentos.  Os movimentos negro e de periferias lançam partido Frente Favela Brasil (FFB) essa será sigla pela qual pretendem usar. Um dos principais incentivadores da iniciativa é o fundador da organização não-governamental Central Única das Favelas (Cufa), Celso Athayde. O  lançamento oficial foi ontem, com uma festa no Morro da Providência, a primeira favela do país. O coordenador da Frente no Distrito Federal, Anderson Quack, disse que o partido nasce da necessidade de dar visibilidade e oportunidade às favelas e à população negra do país. Agora, será necessário apresentar a documentação ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), colher as assinaturas de apoio e formar os diretórios regionais. A Frente já tem representação nas 27 unidades da federação. Segundo Quack, o partido não é nem de esquerda nem direita. “Vamos para a frente. Nem esquerdista, nem direitista, favelista”, definiu. Não men comentar para não gerar discussões sem relevância e que certamente levaria a informação por outros caminhos.

 

A tese

Marina Silva que já tem o seu partido (Rede), e que é apontada por muitos como uma das favoritas à disputa pela Presidência da República em 2018, só aparece em público para defender a tese de que as supostas operações de Caixa 2 na campanha de Dilma Rousseff em 2014, sob investigação na Polícia Federal, reforçam a necessidade de realização de novas eleições, uma vez que o presidente em exercício, Michel Temer, era o vice na chapa da petista e, portanto, não teria legitimidade para permanecer no cargo. Essa é sua ladainha, "Todas as informações estão vindo à tona, demonstrando que houve dinheiro de caixa 2 na campanha que elegeu a chama Dilma e Temer, continuam colocando a necessidade que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) faça o julgamento da denúncia do PSDB (que pede a cassação da chapa). Como se pode sustentar uma chapa que foi eleita com recursos de uma base criminosa?", questionou a líder da Rede Sustentabilidade.

 

O bilionário

O todo poderoso e citados por várias vezes para ser o Ministro da Fazenda da presidente afastada Dilma Rousseff, o Presidente-executivo do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, teve ação contra si aceita por um Juiz federal do DF, no âmbito da Zelotes, que investiga suspeitas de manipulação de julgamentos no Carf e pagamento de propina para edição de MPs para beneficiar empresas ligadas ao grupo. E, comunicado para a imprensa uma nota diz: "O Bradesco reitera sua convicção de que nenhuma ilegalidade foi praticada por seus representantes e, em respeito ao rito processual, apresentará oportunamente seus argumentos ao Poder Judiciário".

Vamos pensar um pouco: O lucro dos bancos brasileiros foi o dobro dos bancos norte-americanos. Não que somos mais pobre o nosso povo é mais pobre. Nunca antes na historia desse pais, houve  lucro tão grande por parte das instituições financeiras. Os juros são extorsivos, o preço Brasil que a maioria da sociedade paga para o beneficio de uns poucos. É uma vergonha!  Trabuco não aceitou o convite de ser ministro de Dilma em lugar mandou seu vice-presidente a época, Joaquim Levy, que não eu certo, uma pulga sempre fica em minha orelha?  Porque caixas d’água todos os ex-ministros de fazenda e presidente do Bnaco Central vão trabalhar no Banco Mundial (BIRD).

 

Continuar lendo
381 Acessos

Cidades

    Política

      Tocantins

        Brasil

          Tocantins

            Opinião

              Topo